;

Facebook abre Estação Hack para capacitar jovens brasileiros

Centro para inovação do Facebook em São Paulo inicia cursos gratuitos de capacitação tecnológica para jovens e divulga lista das primeiras 10 startups nacionais que serão aceleradas no espaço.

02/01/2018 | André Logello | RedPill

Projeto Cineastas 360 é lançado no local 
O Facebook abre nesta segunda-feira (11) a Estação Hack, seu primeiro centro de apoio à inovação no mundo com bolsas para cursos de programação, desenvolvimento de aplicativos e empreendedorismo digital, ajudando a preparar os jovens brasileiros para as profissões do futuro. A empresa também divulga as primeiras 10 startups de impacto social que serão aceleradas no espaço em São Paulo. 

“O Brasil é um país muito importante para o Facebook. Com a Estação Hack, reforçamos ainda mais nosso compromisso com o desenvolvimento do Brasil, ajudando a formar jovens talentos na área de tecnologia, apoiando o empreendedorismo e estimulando a inovação”, afirma Diego Dzodan, Vice-Presidente do Facebook e Instagram para America Latina. 

A capacitação digital é cada vez mais importante para a empregabilidade do jovem brasileiro. Pesquisa feita pela Morning Consult, encomendada pelo Facebook, mostrou que 82% das micro e pequenas empresas no Brasil acreditam que as habilidades digitais são mais importantes na hora de contratar do que a escola onde alguém estudou. Para 85% delas, recrutar profissionais capacitados é considerado um desafio. 

As aulas das primeiras turmas de cursos de programação e de desenvolvimento de aplicativos na Estação Hack começam no dia 12. Por ano, serão oferecidas 7.400 bolsas a jovens como Letícia de Morais Celestino, de 20 anos. “Aprender uma linguagem de programação vai me abrir portas no futuro e gerar oportunidades de carreira”, afirma ela. 

Além do pilar educacional, a Estação Hack hospedará startups que fazem uso intensivo de dados em suas soluções e com potencial de gerar transformações positivas à sociedade em larga escala. 

Foram selecionadas 10 startups para a primeira etapa de aceleração, que acontece de janeiro a junho de 2018. Ao todo, mais de 760 startups se inscreveram em busca de uma vaga no programa. As startups escolhidas oferecem soluções voltadas à empregabilidade de jovens e adultos de baixa renda, educação, segurança de dados, engajamento cívico, serviços financeiros para inclusão ou educação financeira e microempreendedorismo.